25 de maio de 2020 - 03:44

? ºC Primavera do Leste - MT

Notícias

02/04/2020 18:05

2 de abril – Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Dia Mundial de Conscientização do Autismo é comemorado em 2 de abril e é uma excelente oportunidade para se conhecer mais a respeito do Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou autismo, como é conhecido popularmente. O TEA é bastante complexo e os indivíduos não apresentam um quadro-padrão de desenvolvimento, sendo possível observar diferentes manifestações.

De maneira geral, as pessoas com TEA apresentam dificuldade de interação social e interesses restritos ou repetitivos. Vale salientar que algumas pessoas podem ter o TEA e desenvolver-se de maneira totalmente independente; outras, no entanto, podem necessitar de atenção para a realização de atividades por toda a sua vida. Apesar de não haver cura, terapias são fundamentais para o desenvolvimento do indivíduo e sua maior independência.

Leia também: Por que a inclusão social social é tão importante?

Temas que já foram trabalhados no Dia Mundial de Conscientização do Autismo

Dia Mundial de Conscientização do Autismo foi criado em 2007 pela Organização das Nações Unidas. O objetivo da data é garantir a conscientização a respeito do Transtorno do Espectro Autista e, desse modo, reduzir cada vez mais o preconceito existente contra esse público.

O Dia Mundial de Conscientização é comemorado em 2 de abril.
O Dia Mundial de Conscientização é comemorado em 2 de abril.

A cada ano, um tema diferente é trabalhado. O tema de 2018, por exemplo, foi “Empoderando Mulheres e Meninas com Autismo” e enfatizou a importância da igualdade de gênero e a necessidade de que as mulheres com TEA sejam cada vez mais respeitadas e ouvidas.

Em 2019, o tema foi “Tecnologias assistivas, participação ativa” e focava nas estratégias existentes para promover a autonomia e a independência desse público e para dar voz às pessoas com TEA. Em 2020, o tema é “Respeito para todo o espectro” e reforça a necessidade de entendermos a complexidade do TEA e que nenhum indivíduo é afetado da mesma forma. Assim sendo, todos merecem respeito.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Veja também: Novembro Azul – campanha de suma importância para a saúde do homem

Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) pode ser percebido ainda na infância e persiste por toda a vida do indivíduo. De acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, existem cerca de dois milhões de pessoas no Brasil com TEA. Suas causas ainda não são bem conhecidas, entretanto, fatores genéticos e ambientais estão envolvidos.

O TEA manifesta-se de diferentes formas em cada indivíduo, por isso o termo espectro é adotado. De maneira geral, as pessoas com esse transtorno apresentam dificuldade de comunicação de interação social, bem como comportamentos e/ou interesses restritivos ou repetitivos. Vale salientar ainda que cerca de 10% das pessoas com TEA apresentam grandes habilidades matemáticas, artísticas, musicais e de memória (savantismo).

Geralmente o diagnóstico de TEA não é realizado rapidamente e é comum que seja feito quando o indivíduo apresenta entre 4 ou 5 anos de idade. Vários sinais, no entanto, podem sugerir que uma pessoa possui o TEA, mas somente um profissional pode confirmar o diagnóstico.

Dentre os sinais que sugerem o TEA e podem ser percebidos no primeiro ano de vida do indivíduo, podemos citar: pouco contato ocular, não manter o olhar sustentado, demonstrar mais interesse por objetos do que por pessoas, não apresentar vocalização, não responder ao nome, apresentar baixa reciprocidade social e sentir incômodo exagerado a sons altos.

O TEA não possui cura, mas as terapias podem ajudar no desenvolvimento do indivíduo. Trata-se de um transtorno bastante complexo e cada criança possui sua particularidade. Desse modo, o tratamento é também individual, levando-se em consideração a necessidade de cada um. Para saber mais sobre, leia o texto específico sobre o tema: Autismo.

Direitos da pessoa com Transtorno do Espectro Autista

 O quebra-cabeça é o símbolo do autismo e representa a complexidade do TEA e tudo que ainda é necessário descobrir sobre o tema.
O quebra-cabeça é o símbolo do autismo e representa a complexidade do TEA e tudo que ainda é necessário descobrir sobre o tema.

A pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA), para todos os efeitos legais, é considerada uma pessoa com deficiência. Desse modo, há leis específicas que garantem os direitos de quem possui TEA. A Lei nº 12.764, de 27 de Dezembro de 2012, por exemplo, institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. De acordo com essa lei, são direitos da pessoa com TEA:

I - a vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da personalidade, a segurança e o lazer;

II - a proteção contra qualquer forma de abuso e exploração;

III - o acesso a ações e serviços de saúde, com vistas à atenção integral às suas necessidades de saúde, incluindo:

a) o diagnóstico precoce, ainda que não definitivo;

b) o atendimento multiprofissional;

c) a nutrição adequada e a terapia nutricional;

d) os medicamentos;

e) informações que auxiliem no diagnóstico e no tratamento;

IV - o acesso:

a) à educação e ao ensino profissionalizante;

b) à moradia, inclusive à residência protegida;

c) ao mercado de trabalho;

d) à previdência social e à assistência social.

Temos ainda a Lei nº 13.977, de 8 de janeiro de 2020, que cria a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea), de expedição gratuita. De acordo com o texto da lei, a Ciptea tem por objetivo “garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no atendimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.” Essa lei também é conhecida como Lei Romeo Mion, em homenagem ao filho do apresentador Marcos Mion, que possui TEA.

Por Vanessa Sardinha dos Santos
Professor de Biologia


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo